Capa BLOG - Parte 1.jpgFacebook de Autor | Facebook d´O Bater do Coração |Wattpad  |P.S.: Ficas Comigo?

Newsletter do mês de maio |Newsletter do mês de abril 

Nota | Publicado em por | Etiquetas , , , , , , | Publicar um comentário

Stupid In Love – “Estúpida a Amar”

Boa noite 🙂 como estão?

Vai muito tempo, eu sei! A verdade é que entre escrever relatórios de estágio, e algo ficcional, pouco tempo fico para conseguir, após isso, ter inspiração.

Todavia, no mês passado algo que há¡ muito tempo fazer, acabou por se concretizar. Mas o que é isso? Pois bem… já te imaginaste a ouvir músicas e imaginar uma história? Quer fosse baseada na tua vida, quer fosse uma que ia surgindo à medida que a melodia invadia o teu ser? Tenho quase a certeza que sim! E tal como a mim acontece, decidi: porque não lançar as mãos ao teclado e ouvir mais de vinte vezes a mesma música e escrever uma história?

Foi isso que fiz, e hoje, mais de um mês após a sua escrita, vos apresenta a “Estúpida a Amar”. A história é  baseada na música da cantora de Barbados – Rihanna – Stupid In Love.

Claro que há quem possa não gostar da música/artista/género. Mas desafio a que experimentem. Carregar no play, e começar logo a ler. Fiz o teste, e a duração encaixa na perfeição Sintam a história. Deixem que a música adense a vossa imaginação à medida que a leiam. Acho que poderão gostar…

Stupid In Love

casa

Estúpida era o meu nome do meio.
A estúpida que eu era!
A estúpida que me permitia ser por outra pessoa. Por deixar tudo por um rapaz que de nada, tinha feito por mim. Que tudo o que me fizera, fora tirar vida.
Eu era assim. Sempre o fora! Nunca quis ouvir ninguém. Nem a Katy, a pessoa a quem posso chamar de melhor amiga por sempre, apesar de todas as vezes que ficara amuada por não gostar de ouvir a verdade, me ter dito que ele não valia nada. Mesmo quando o dizia após discussões sem fim.
As minhas mãos estão lívidas, tal é a força que agarro o volante. Estava capaz de o quebrar, mas para quebrado, já basta o meu coração.
Mas hoje seria diferente. Hoje iria mudar a minha essência. Iria mudar a minha vida.
– Olá! – disse-me, cabisbaixo, ao abrir-me a porta da sua casa. A casa onde tinha vivenciado tanto, onde tantas memórias espreitavam a cada esquina, era também a casa que, durante noites, atormentava o meu subconsciente.
– Deixa-me dizer-te uma coisa… Porque acho que nunca te apercebeste – comecei, com lágrimas a aflorarem-me os olhos. – Nunca, mas nunca, me dei tanto como dei a ti. Em toda a minha vida!
– Eu… Deixa-me..
– Nem tentes! – respondi, ficando até eu própria surpreendida com o azedume na minha voz. – Deixei o motor ligado. Só vim mesmo para te perguntar: o que farias se eu te desse uma segunda oportunidade para fazeres as coisas de outra maneira?
– Eu…
– Tão previsível. Claro que não sabes. Não só não sabes agora, como nunca soubeste. Nunca me conseguiste responder a esta pergunta, pois não? Custa-me admitir, mas a Katy tinha razão. Isto é um desperdício de tempo. TU és um desperdício de tempo! E só agora consigo percebê-lo…
– Desculpa… – tentou. – Nunca quis que aquilo acontecesse.
– “Aquilo” de beijares outra, ou de dizeres que estás sempre ocupado para mim?
– Eu estava bêbado e sabes que isso não é compl…
– Não consigo compreender! – respondi-lhe, com lágrimas a saírem em cascata. – É como se tivesses cometido um crime e não o admites. Tens sangue nas tuas mãos e, mesmo assim, insistes sistematicamente em contar-me mentiras. Eu não consigo perceber… E, sinceramente, estou cansada de o tentar fazer. Isto é tão estúpido…
– Tu não és estúpida – conseguiu dizer, trémulo, ainda com a mão no puxador.
– Pois não! E não tens o direito de me falar como se fosse estúpida! Posso ser muita coisa. Posso ser burra, em ter confiado em ti. Burra em ter pensado que me querias na tua vida, depois de todas as merdas que fizeste. Depois de nos termos ligado da maneira que foi. Mas não sou estúpida!
– A nossa primeira vez em nada significou? As vezes que choraste em mim. Que eu chorei em ti… Já não me amas?
– CLARO QUE TE AMO! Mas simplesmente não consigo mais fazer isto. Não tenho mais forças… Posso ter sido burra, mas deixei de ser estúpida.
– Mas somos tão felizes juntos! Até a Katy sabe isso. Ou o Marcos… Sim, ele sabe! – disse, esperançoso, substituindo o puxador da porta pela minha mão desprotegida.
– Estás a gozar certo? Sabes a quantidade de vezes que eles me chamaram de parva de cada vez que discutíamos ao telefone? De idiota? Da quantidade de vezes que me avisaram, para te deixar ir? Que “tu não eras o tal”?
Sentia cada célula do corpo explodir, e o meu coração mal aguentava no meu peito, mas já tinha começado. Não podia deixar isto a meio. Toda eu tremia. E não podia negar que a sua mão sobre a minha era como que um calmante natural. Mas esse calmante já perdera o seu efeito. Eu, simplesmente, não poderia lutar mais por alguém que, claramente, não o queria.
Pensei ver o seu potencial. Desde os seus olhos esverdeados, até ao seu sorriso encantador, sem esquecer a maneira como me tomava nos seus braços e embalava contra o seu peito largo. Mas foi isso que me deixou burra. Com se tivesse palas nos olhos que me permitissem ver só o que ele queria que eu visse.
– Eu não aguento, Rúben! Os teus esquemas e as tuas traições, matam-me…
– Mas e o tempo que passamos juntos? – perguntou, esperançoso, avançando até mim, fazendo-me olhar para si e os seus olhos profundos, escondidos atrás de uns óculos que só o deixavam ainda mais atraente.
– O tempo? Perdi-o. É o fim. Desculpa.
Ele, desesperado pelo meu discurso rápido e ríspido, de tamanha mágoa acumulada, rodeia-me a cintura e beija-me. E meu Deus, se mesmo com toda a dor que me infligiu, não sabe bem. Mas por mais que os seus beijos demonstrassem a ternura que me quer passar, já não consigo acreditar. Eu continuo a amar-te, Rúben, mas não posso fazer mais isto.
– Tentei que isto funcionasse. Mas tu, apesar de todas as oportunidades e discussões, continuas a agir como um cretino! Sou tão ingénua em sequer tentar continuar. A pensar que sou eu o problema. Não o sou!
Ele afasta-se, tentando desesperadamente prender-me com o seu olhar hipnotizante.
– As orelhas de burro caíram! Não te consegues aperceber do que perdeste, e só vais mesmo perceber quando me for…
– Por favor… eu vou melhorar! Por ti. Por nós!
– Não me queiras fazer mais idiota.
E, sem ser mais capaz de senti-lo perto de mim, viro-me e abro a porta do carro.
Ainda consigo sentir o seu olhar sobre o meu à medida que o fixo pelo espelho, mas está na altura de pensar em mim. No que quero para mim.
– Eu ainda te amo, Rúben, mas não consigo mais continuar com isto. Posso ter sido burra, mas não sou estúpida.

Publicado em 2017, Amizade, amor, autor, Diogo Simões, drama, escrever, escrita, escritor, história de amor, jovem autor, jovens escritores, ler, Romance, Sentimentos, Sentimentos Escritos, Suspense, Texts e Pensamentos | Etiquetas , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

(E Não) Era Uma Vez

Boa tarde,

            Estava eu a vaguear pelos quase 2 TB de dados que tenho no meu abençoado disco externo, quando me deparei com uma história, baseada em factos reais – e misturada com ficção-, que escrevi a 8 de outubro de 2013.

            Muito tempo já passou, é certo, mas face à minha última e bem-sucedida experiência com o Wattpad, decidi pegar nesta história de 4 páginas, e voltar a publicá-la. Para aqueles que a conhecem, pensem nela mais (e agora roubando o termo mais usado ultimamente no mundo da industria audiovisual) como uma versão remasterizada. Isto é, corrigi alguns erros e apaguei coisas que, naquela altura, julgava fazerem sentido. Para os que não sabem o que esperar deste “conto”; como já referi, é uma mistura de criatividade com factos verídicos do que me contaram (em 2013). Vão poder “acompanhar” o dia de um médico que trabalha com doentes em fase terminal. Mais não poderei dizer.

            Sendo esta uma “versão remasterizada” (versão revista), foi como tal mantida a essência do que escrevi inicialmente. Não procedi a nenhuma restruturação, nem reconstrução de partes da história. Quis manter tudo como estava originalmente, em respeito ao que senti aquando da escrita. Espero que percebam. Para algo mais atual, podem ler “P.S.: Ficas Comigo?” (Wattpad) e o romance “O Bater do Coração” (Chiado Editora), enquanto o meu próximo livro não chega.

            Em jeito de despedida, só me resta dizer que espero que gostem tanto da história, e da sua mensagem, quanto eu.

 Podem ler a história, gratuitamente, em Wattpad.com (carregar na imagem)

sem nome

Publicado em 2017, amor, autor, Diogo Simões, drama, escrever, escrita, escritor, história de amor, jovem autor, jovens escritores, ler, Sentimentos, Sentimentos Escritos, Texts e Pensamentos | Etiquetas , , , , , , , | Publicar um comentário

“P.S.: Ficas Comigo?” – Capítulo (FINAL)

16700408_1493541337352832_7104361587429117950_oBoa noite a todos.

É hoje, ao fim de alguns meses, que chega ao fim esta história de amor. Uma história que me surgiu no verão passado e que, desde então, me tem feito companhia durante todos os dias. O adeus é sempre difícil. É como deixar partir um filho… mas sei que, independentemente disso, a história ficará cá sempre. Imortalizada pela internet. Para toda a gente.

Espero que tenham gostado de me acompanhar neste novo projeto. De conhecer estas personagens tanto quanto eu…

Sem mais demoras, fiquem com os últimos dois capítulos e os Agradecimentos! Espero que gostem.

Capítulo 53 – 11 de agosto

Publicado em 2017, Amizade, amor, Diogo Simões, Entrevista, escrever, escrita, escritor, história de amor, jovem autor, jovens escritores, Romance, Série, Sentimentos, Suspense, wattpad | Publicar um comentário

“P.S.: Ficas Comigo?” – Capítulo 51 & 52 + Anúncio

Boa noite!

Amanhã chega ao fim esta história que, ao longo destes meses, me tem dado um enorme gosto em escrever. Em a partilhar!
Hoje, antes do grande final, fiquem com mais 2 capítulos. Os capítulos que explicam “tudo”!

Capítulo 51 – 8 de agosto (Pedro)

 

 

 

Publicado em 2017, drama, escrever, escrita, escritor, história de amor, jovem autor, jovens escritores, ler, P.S.: Ficas Comigo?, Romance, Série, Sentimentos, Sentimentos Escritos, wattpad | Publicar um comentário

“P.S.: Ficas Comigo?” – Capítulo 50

Boa noite 🙂

É já este fim-de-semana que chega o final desta história de amor, mas por agora, fiquem com um novo capítulo! 🙂

Capítulo 50 – 7 de agosto (Sofia)

 

Publicado em 2017, Amizade, amor, autor, Diogo Simões, drama, escrever, escrita, escritor, história de amor, jovem autor, jovens escritores, ler, Obra, P.S.: Ficas Comigo?, Romance, Série, Sentimentos, Sentimentos Escritos, Suspense, Texts e Pensamentos, wattpad | Publicar um comentário

“P.S.: Ficas Comigo?” – Capítulo 49

16700408_1493541337352832_7104361587429117950_o

Boa noite 🙂
Aqui fia mais um capítulo! Um capítulo que inicia a reta final desta história de amor…

Capítulo 48 – 6 de agosto (Pedro)

Publicado em 2017, Amizade, amor, autor, Diogo Simões, drama, escrever, escrita, escritor, Obra, P.S.: Ficas Comigo?, Romance, Série, Sentimentos, Sentimentos Escritos, Suspense, wattpad | Publicar um comentário

“P.S.: Ficas Comigo?” – Capítulo 48

Boa noite 🙂
 
Em jeito de agradecimento a todos os que me felicitaram e fizeram deste dia um dia especial (e talvez com algumas novidades a chegar para o próximos meses), aqui fica um capítulo há muito esperado pelos mais de 2 mil leitores desta história de amo! Uma história que me tem dado um enorme gosto construir ao longo destes meses.
 
Beijinhos e abraços,
Diogo

Capítulo 48 – 5 de agosto (Sofia)

Publicado em 2017, Amizade, amor, Diogo Simões, Entrevista, Felicidade, goodreads, jovem autor, ler, P.S.: Ficas Comigo?, Romance, Série, Sentimentos, Sentimentos Escritos, Suspense, Texts e Pensamentos, wattpad | Publicar um comentário